23.1.09

Trilha da insônia



Depois da minha fase, ora em transe, perceptiva, volto a me comunicar com as palavras. Ainda 

não como queria eu. Ainda lento, mais percepção, visão, estética do acaso, a paixão simples, 

energias em sintonia, tolerância, lealdade - sabe o que é isso? Duvido! Foram palavras 

desgastadas, mal pintadas com a cor da mentira. Assim volto e vomito. Escarro e acendo o 

fogo que queima os nós. Nós de ciclos que encerram no início de outros, cada vez melhores, 

cada vez menos previsíveis.
Emilie Autumn é minha trilha da noite, da insônia. Companhia dessa violinista cantora e escritora 
californiana de Malibu,onde pus os pés sem sonhar um dia em que sua música simples, meio 

eletro, meio euro dance, mas com uma gostosa melancolia de quem sabe que isso é um 

sentimento, como a alegria. Lembra Yes? Ela lembra, em Organ Grind, sexta música do CD 

O'clock, minha segunda favorita. A primeira vai para a música que dá nome ao CD. Trilha 

perfeita pra Tins Burtons. Kraftwerk, cravo, italian opera burlesque com musical americano. 

Nada de samba do crioulo doido. Cascata de recicle da melhor qualidade. Arremate isso tudo
com com Chris Hynde. Emilie é quase um cover dela, minha amante da loja de chocolates, em My Fairweather friend.

Ora, devia estar sonhando...

www.myspace.com/emilieautumn
Ou vai procurar no mininova, vai.

Nenhum comentário: