30.7.08

Moleque poeta, do acaso

Nenhum comentário: