26.6.08

Pedras que rolam

Parecia filme. O cabelo solto tremulava como uma bandeira.
Óculos escuros, grandes. Nada escapava do seu olhar. Embora ele escapasse de qualquer um. Velocidade, silêncio e Amy invadiam o carro. Cada um no seu espaço ideal. O certo. A brisa passava pelo rosto como uma seda passasse. A pequena mão em meus joelhos, o sorriso metálico, inocente como Juliete Lewis em Natural Born Killers. O asfalto rola por baixo do carro, como uma esteira, num logo-ali que nunca acaba. E cada qual com seu tempo. O mesmo tempo que passa veloz, como a estrada por baixo do carro, é o mesmo tempo que limpa como Omo, o branco total; que faz a paisagem passar e o céu parar. Como param teus olhos nos meus. Mesmo que por detrás desses óculos escuros, grandes. E esse sorriso blindado,
de cabelos soltos que tremulam como bandeira, parados como o céu.
Parados como o tempo que invade o carro.
Como se construísse um novo cenário.


Um comentário:

MaurícioVulcão disse...

Fala amigo. Eu vi esta imagem dos dois dados pendurados e lembrei de perguntar: você sabe o que significa de fato isto? Eu não sei. Hehehe. Alguém uma vez me disse que seria um símbolo de 'sorte e fortuna'. Será que é só isso ou tem algo mais? Um abraço, mano.